sexta-feira, 24 de março de 2017

XIV Edição da Corrida de Solidariedade ISCPSI/APAV


A 26 de março, pelas 10h00, realiza-se a “XIV Edição da Corrida de Solidariedade ISCPSI/APAV”, com apoio do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, em parceria com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, a PSP organiza esta prova de atletismo de referência nacional, à qual está também associada uma caminhada, a “marcha das famílias”.

A Corrida de Solidariedade, uma parceria da APAV com o ISCPSI, resultante do empenho destes organismos, bem como do entusiasmo dos cadetes-alunos. Esta iniciativa, baseia-se numa vertente de angariação de fundos, em que o valor da inscrição reverte a favor da APAV e resulta num importante contributo para a continuação da missão da PSP no apoio à vítima de crime.

Assim, integrada no programa desta iniciativa, irão realizar-se os seguintes condicionamentos de trânsito (que se iniciam pelas 09h30) durante a passagem dos atletas , de acordo com as respetivas provas desportivas:
  • “Corrida de 10 Km” - Partida pelas 10h00 junto ao edifício do ISCPSI (Rua 1º de Maio - Alcântara), estendendo-se a corrida até ao Mosteiro dos Jerónimos, em Belém, com passagem pelo Cais do Sodré, seguindo os atletas pela Avª 24 de Julho e Avª da India e términus na Praça do Império.
  • “Marcha das famílias” – (3, 5 Km) Inicia em simultâneo com a prova anterior, segue pela Rua de Cascais, Avª da índia em direção à Praça do Império, onde está instalada a Meta.

Durante os condicionamentos existirão Polícias a proceder ao desvio do trânsito, informando alternativas dos condutores.



297 Detidos

O Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública, na sua área de responsabilidade, continuando os objetivos de prevenção e dissuasão da criminalidade e de ilícitos em geral, no período compreendido entre as 07h00 do dia 17 de março e as 07h00 do dia 24 de março, realizou 136 operações policiais e procedeu à detenção de 297 cidadãos por diversos crimes:
  • 59 Por Condução sob o efeito de álcool;
  • 56 Por Tráfico de Estupefaciente;
  • 29 Por Condução sem habilitação legal;
  • 13 Por Furto;
  • 09 Por Desobediência;
  • 08 Por Resistência e Coação sobre Funcionário;
  • 08 Por Posse ilegal de arma;
  • 02 Por Furto por carteirista;
  • 01 Imigração ilegal;
  • 17 Por Roubo;
  • 74 Por Mandado de Detenção, e
  • 23 Por Outros Crimes.
Da atividade operacional, foi possível apreender o seguinte material:
  • 49 Armas:
    • 30 Espingardas;
    • 06 Armas de 6.35 mm;
    • 04 Armas brancas;
    • 03 Revólveres;
    • 05 Aerossóis de defesa;
    • 01 Bastão, e
  • 1.325 Munições.
Estupefaciente:
  • 358,30 Doses de produto estupefaciente suspeito de ser Cocaína;
  • 35,90 Doses de produto estupefaciente suspeito de ser Heroína;
  • 2.426,26 Doses de produto estupefaciente suspeito de ser Haxixe.
Sinistralidade Rodoviária:
  • Total de Acidentes: 350;
    • N.º de Mortos: 00;
    • N.º de Feridos Graves: 02;
    • N.º de Feridos Leves: 109.

Portugal Vs Hungria

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP informa que no dia 25 de março de 2017, pelas 19h45, no Complexo Desportivo Sport Lisboa e Benfica, em Lisboa, irá realizar-se um jogo de futebol entre as Seleções Nacionais de Portugal e da Hungria para a fase de apuramento Europeia do Campeonato do Mundo de 2018.

A hora oficial de abertura das portas do estádio ao público está prevista para as 17h45, no entanto, a PSP incidirá o policiamento ainda no período da manhã, sobre a fiscalização do estacionamento, garantindo a necessária fluidez da circulação automóvel, prevendo-se restrições pontuais ao trânsito automóvel e pedonal, somente em situações entendidas como medida de segurança necessária.

De acordo com a legislação nacional em vigor, este é considerado um evento de “risco elevado”, prevendo-se uma lotação de cerca de 60.000 pessoas.

Haverá fiscalização do estacionamento irregular, procurando a fluidez possível na circulação automóvel, não havendo restrições ao trânsito, a não ser em situações pontuais de deslocação de equipas e Grupos Organizados de Adeptos, especialmente aqueles que sejam considerados de risco.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP destacou, para este encontro, um dispositivo policial entendido como adequado às circunstâncias, onde se incluem diversas valências da PSP, tais como: efetivos da Divisão Policial da área, Divisão de Trânsito, Unidade Metropolitana de Informações Desportivas, Equipas de Intervenção Rápida, Equipas de Prevenção e Reação Imediata e Unidade Especial de Polícia.

Com este dispositivo, a principal missão da PSP é garantir a segurança de pessoas e bens, quer no interior, quer no exterior e imediações do complexo desportivo, prevenindo furtos a pessoas, de e em automóveis, roubos, venda ilegal de bilhetes e quaisquer alterações da ordem pública, principalmente no que diz respeito a rivalidades entre Grupos Organizados de Adeptos e adeptos das equipas. 

A concentração dos adeptos húngaros está prevista para as 16h00 na zona do Jardim da Amnistia Internacional, com posterior deslocação dos adeptos em dispositivo policial pela Rua de Campolide, Rua Marechal Humberto Delgado, Estrada das Laranjeiras, Estrada da Luz, Avª Lusíada, Avª Frei Luís de Granado e Avª Machado dos Santos, havendo condicionamento de trânsito nestas artérias.

A PSP relembra que, segundo a legislação em vigor é crime, nomeadamente:
  • A distribuição e venda de títulos de ingresso falsos ou irregulares;
  • A prática de dano qualificado em transporte público, instalação ou equipamento utilizado pelo público;
  • Participação em rixa na deslocação para ou do espetáculo desportivo;
  • A entrada não autorizada de qualquer pessoa na área de competição (relvado);
  • Ofensas à integridade física atuando em grupo.

A PSP aconselha:
  • Todos os adeptos a deslocarem-se para o Estádio do Sport Lisboa e Benfica em transportes públicos, evitando trazer as suas viaturas para as imediações do Estádio;
  • Todos os adeptos a chegarem com antecedência, contando com as filas e com os procedimentos de segurança, e
  • No caso de serem utilizadas viaturas próprias, ao estacionamento em parques vigiados e destinados para o efeito;
  • Evitar portar malas e mochilas para o interior do recinto desportivo.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP conta com a colaboração do público, no sentido do mesmo mediar conflitos e comunicar à Polícia as ocorrências anormais que possam pôr em causa o sucesso do evento, através do número 21 7654242 (21polícia) ou 112, em caso de emergência.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Detidos 4 homens por danos contra a natureza

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através das Brigadas de Proteção Ambiental (BriPA), em colaboração com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), no dia 22 de março de 2017, na freguesia do Areeiro, em Lisboa, procedeu à detenção de 4 homens, com idades compreendidas entre os 35 e os 51 anos de idade, pela suspeita do crime de danos contra a natureza, nomeadamente a captura e destruição de exemplares de espécies protegidas de fauna, concretamente ovos de Falco Peregrinus (Falcão Peregrino).

Dois dos detidos foram visualizados a descer uma parede de betão armado com cerca de 50 metros de altura, fazendo para o efeito recurso a técnicas e equipamentos de rappel, sendo que os restantes detidos davam apoio logístico com o equipamento e faziam vigilância do local, atuando todos em comunhão de esforços com vista a concretizar o ilícito.

Os detidos foram abordados pouco depois, sendo que um deles já tinha na sua posse três ovos da espécie já referida, os quais foram apreendidos e entregues ao ICNF, que diligenciou pela sua colocação em local apropriado, vindo-se a verificar que um deles havia já sido irremediavelmente danificado.

Foi ainda apreendido todo o equipamento usado para a ação que os mesmos levaram a cabo, nomeadamente cordas, arneses, mosquetões, lanternas, um capacete e outro material próprio para rappel.

Na sequência das diligências feitas na residência de um dos detidos, foram ainda apreendidos cautelarmente cinco espécimes de falcão peregrino, por existirem suspeitas quanto à sua proveniência e legalização.

Os detidos foram presentes na Instância Local – Secção de Pequena Criminalidade do Ministério Público de Lisboa, tendo sido aplicada a medida de Suspensão Provisória do Processo, mediante pagamento de uma injunção.

Homem detido por condução de veículo pesado por uso de cartão alheio (tacógrafo)

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Trânsito, no dia 22 de Março de 2017, pelas 15h00, na Praça 25 de Abril, nesta cidade, procedeu à detenção do condutor de um veículo pesado de passageiros, por fazer uso de um cartão tacográfico de outra pessoa.
No momento da fiscalização rodoviária o condutor em causa, proprietário da empresa, utilizava o cartão tacográfico emitido em nome de um seu empregado.
O detido foi presente nos Serviços do Ministério Público da Instância Local Criminal de Lisboa, tendo-lhe sido aplicada a medida de Suspensão Provisória do Processo.

O Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública informa ainda, que através da sua Divisão de Trânsito, continuará a realizar operações de fiscalização rodoviária, em áreas mais especializadas, como a presente situação.

Detido por Roubo e Furtos

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, no dia 21 de março, pelas 15h00, na freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, procedeu ao cumprimento de mandado de detenção, emitido pela Autoridade Judiciária, de um homem, com 16 anos de idade, por ser suspeito da prática de crimes de roubo e furtos.

Após diligências investigatórias, foi possível apurar que o suspeito tinha sempre como alvos, os taxistas e preferencialmente já com uma idade avançada, aos quais solicitava o serviço de transporte, indicando-lhe para se dirigir para locais pouco movimentados e mal iluminados, onde efetuava geralmente um estrangulamento aos ofendidos até que ficassem incapacitados de resistir, subtraindo-lhes toda a quantia monetária que possuíssem.

O detido, apesar de jovem, possui já vários processos tutelares educativos, foi presente na Instância Central, 1.ª Secção de Instrução Criminal do Tribunal da Comarca de Lisboa, para 1.º interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de Prisão Preventiva.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Detenção de dois indivíduos por roubo em estabelecimento comercial

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da 5.ª Divisão Policial, no dia 21 de março pelas 16H30, na freguesia da Penha de França, nesta cidade, procedeu à detenção de dois homens de 16 e 18 anos, pela prática do crime de roubo em estabelecimento comercial.

Os polícias que se encontravam em serviço de patrulhamento apeado aperceberam-se da fuga apressada dos dois suspeitos de uma loja de conveniência e da tentativa de interceção por parte do proprietário da loja, o qual já havia sido agredido ao tentar cessar o ilícito, tendo vindo a intercetar os suspeitos na posse de dois maços de tabaco, sendo estes restituídos ao seu proprietário.

Os suspeitos foram detidos e presentes na Instância Central, 1ª Seção de Instrução Criminal do Tribunal Criminal da Comarca de Lisboa tendo-lhes sido aplicadas as medidas de coação de Apresentações Semanais para ambos.

Homem detido por exercício ilícito da atividade de segurança privada

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através do Núcleo de Segurança Privada (NSP), ontem, pelas 22h35, na zona do Lumiar, em Lisboa, procedeu à detenção de um homem de 39 anos suspeito do exercício ilícito da atividade de segurança privada.

Enquanto procediam a uma ronda da fiscalização da atividade de segurança privada, os polícias do NSP detetaram um cidadão que se encontrava a desempenhar as funções de vigilante, não estando devidamente uniformizado, o que levantou suspeitas sobre a sua situação.

Após ser abordado, informou que era titular de cartão profissional, contudo, não se encontrava a desempenhar as suas funções subordinado a qualquer empresa titular de alvará ou licença, estando contratado diretamente pela entidade para a qual se encontrava a prestar aquele serviço. Tendo-se verificado que esta entidade não é titular de licença de autoproteção, tal facto constitui crime nos termos da Lei de Segurança Privada, sendo o cidadão detido.

O mesmo foi notificado para comparecer hoje na Instância Local – Secção de Pequena Criminalidade do Ministério Público de Lisboa, tendo o processo baixado a inquérito, mantendo-se o arguido sujeito à medida de coação de Termo de Identidade e Residência.